Cherry @ 13:34

Dom, 27/06/10

(A 18 de Junho escrevi:

Nunca senti isto mas hoje apetecia-me ir falar com a R., aquela pela qual me deixaste, apetecia-me ir dizer-lhe que não percebo o que é nos fazes. Porquê é que caímos todas na tua conversa? Acho que por mais estranho que pareça íamos ter pontos em comum, e de uma maneira ou de outra iamo-nos perceber, apesar de todos os conflitos anteriores, que por ti, existiram.)

 

E falámos ontem. Falámos e o assunto era príncipes e sapos. Falámos, durante uma meia hora e em pouca palavras retratámos as duas a merda que foste, mas tudo muito subtilmente, sem nunca fraquejarmos. Ás tantas ela diz "Ainda bem que encontramos sapos! Mais tarde sabemos como os distinguir dos verdadeiros príncipes", e se calhar é mesmo isso. Se calhar tem razão.


 

 

 

Foi estranho, mas soube bem.

Soube bem ver que ela passou pelo mesmo.

Soube bem perceber que não vales nada e que não sou só eu que acho.

 

 

Que conversa impensável, improvável, imaginável.

Estás surpreendido? Eu também.

 



música: Haja o que houver - Madredeus


SUSANA VENTURA @ 16:27

Seg, 28/06/10

 

segues-me , por favor ?? $;